Informações para quem treina sem Técnico

Informações para quem treina sem Técnico

Obviamente esta não é a forma adequada para evoluir de forma competitiva, visando torneios nacionais e um futuro promissor como atleta profissional da modalidade, mas em diferentes ocasiões e por diferentes motivos, não dispomos de intervenção profissional.

· Forme um grupo ou encontre parceiros para de forma regular e organizada praticar fundamentos e disputar partidas.

· Os conceitos de como golpear (teoria) e atingir determinado padrão técnico substituem horas de treinamento inadequado, deve-se ter uma idéia do movimento e entender as possibilidades, as variações possíveis de um mesmo golpe: amplitude do movimento, contato com a raquete, trajetória da bola, efeitos e colocação da bola na mesa adversária.

· Estabeleça objetivos realísticos, o que você pode e tem como atingir e priorize treinar com pessoas que esperam ou querem o mesmo.

· O processo de escolha/adaptação ao equipamento serve uma ordem de grandeza, do mais lento (lento não é ruim, é controle) ao mais veloz (não é o melhor, pois tem um menor controle), as madeiras e borrachas ALL são adequadas para todos os estilos e tipos de jogadas.

· Para quem joga por hobby ou diversão não deve preocupar-se com a introdução da colagem rápida, acarreta gasto maior do material, custo maior de manutenção, menor domínio do conjunto de raquete, prejudica a assimilação correta dos golpes (no início devem ser amplos e com raquetes lentas, que ofereçam controle) após o entendimento da mecânica os acertos serão introduzidos gradualmente.

· Quem leu até aqui merece parabéns, por não ter técnico o mínimo que pode fazer é procurar material no fórum.

· O estilo irá formar-se de acordo com as suas possibilidades físicas, técnicas e psicológicas, não é você que opta por jogar de determinada maneira, mas sim o conjunto de suas capacidades.

· É indispensável uma referência visual dos movimentos e do posicionamento dos diferentes estilos (procure vídeos de treinamentos ou partidas), os movimentos incorretos treinados de forma regular melhoram o índice de acertos, mas impossibilitam/limitam a progressão técnica.

· Tênis de mesa é adaptação, um jogador inteligente que entende as ações do adversário, através da observação direta saberá o que fazer, somente restando executar. A visão é o sentido mais importante por que permite aprender com o oponente, selecionando ações e respostas.

· Os golpes devem ser desenvolvidos primeiramente em sua forma (saber a mecânica, se alguém perguntar como fazer, você terá uma imagem mental e poderá mostrar o golpe), após em sua utilização e finalmente em sua repetição, fixar de forma definitiva no seu repertório motor.

· Os treinos de habilidade, flexibilidade e regularidade são realizados antes dos treinos de força, explosão ou resistência, assim como os lançamentos são treinados, para um aproveitamento melhor, na metade do período.

· O conhecimento teórico do exercício é mais importante do que a potencia no golpe. Você tem que saber o quê e para quê está treinando determinada bola. O principio para aprender e executar bens novos fundamentos é saber avaliar quando introduzir novos fundamentos, sem deixar de praticar o básico.

Não há como, com poucas palavras, transmitir a totalidade de informações necessárias. O vocabulário é vastamente empregado para influir na percepção, tanto quanto a atenção visual.

Muitos atletas aprendem olhando, outros mais ouvindo e alguns de ambas as formas, na impossibilidade de mostrar ou corrigir, resta descrever…

Boa tarde a todos. Estou muiiito feliz, como um iniciante no tenis de mesa, em ver a qualidade e a utilidade desse forum. Em nome de todos os iniciantes no esporte eu agradeço.

Hinoki, mais uma vez só me resta lhe dar os parabéns, o texto todo é excelente.

Citei esse trecho, por traduzir perfeitamente o meu caso, por mais que eu tente jogar OFF, não tem jeito, meu jogo é ALL, sempre controlando, variando jogadas, e fechando o ponto nas bolas certas e nas horas certas.

Parabéns,

Bob

excelente material hinoki, parabéns.

Hinoky;

Concordo com o BOB, você foi perfeito em seu texto sobre treinamento e estilo de jogo. Sou caneteiro, all round, e já tentei ser mais agressivo, mas na hora do jogo acabo abdicando do ataque para jogar mesclando jogadas de ataque e defesa, e tenho perdido jogos por isso. Infelizmente é meu estilo, e preciso acostumar e treinar mais, pois só assim para encarar a galera de BH de igual pra igual. inclusive o próprio BOB.

Ótimo texto, e com sua permissão vou imprimir e levar pro meu clube, onde treino. Aguardo sua permissão, até mais.

Esses dois tópicos , considerei muito importantes, principalmente o segundo, já que eu nunca sei em que ordem desenvolver meus treinos.

[quote=“hinoki”:1fvgyezt]Informações para quem treina sem Técnico.

-Estabeleça objetivos realísticos, o que você pode e tem como atingir e priorize treinar com pessoas que esperam ou querem o mesmo.
-Os treinos de habilidade, flexibilidade e regularidade são realizados antes dos treinos de força, explosão ou resistência, assim como os lançamentos são treinados, para um aproveitamento melhor, na metade do período.

[/quote]

Minha intenção é compartilhar o pouco que sei para todos aqueles que tem interesse.

Certamente a reprodução, adaptação ou divulgação de qualquer material compilado ou produzido por mim são autorizadas.

[quote=“hinoki”:2h4yaiai]Minha intenção é compartilhar o pouco que sei para todos aqueles que tem interesse.

Certamente a reprodução, adaptação ou divulgação de qualquer material compilado ou produzido por mim são autorizadas.[/quote]

Parabéns pela humildade, e o pouco que você sabe é muito importante para quem sabe menos ainda, acho que depois de ler esse texto vou melhorar minha forma de treinar, e vou tentar repassar para as pessoas que treinam comigo!

Muito obrigado pelas informações.

[quote=“hinoki”:2w04evhp]Minha intenção é compartilhar o pouco que sei para todos aqueles que tem interesse.

Certamente a reprodução, adaptação ou divulgação de qualquer material compilado ou produzido por mim são autorizadas.[/quote]

Caro Hinoki;

Agradeço a autorização, vou imprimir e levar para os garotos novos que treinam comigo, obrigado.

[quote=“hinoki”:14dh8wy5]Minha intenção é compartilhar o pouco que sei para todos aqueles que tem interesse.

Certamente a reprodução, adaptação ou divulgação de qualquer material compilado ou produzido por mim são autorizadas.[/quote]

O pouco que sabe? Se soubessemos metade do seu conhecimento, nossos clubes seriam poços de conteúdo sobre tênis de mesa.

hinoki , continua ai , eu treino sem tecnico se possivel escreve + q possa ajudar , gostei muito do q vc escreveu , a dificuldade pra gente é ñ ter tecnico , mas eu acho q mesmo assim conseguimos evoluir bastante tanto q quando alguem q é federado e joga contra a gente tem muita dificuldade pra ganhar , vlw

“IMPORTANTE: O OBJETIVO DESTE MATERIAL NÃO É CONFRONTAR/QUESTIONAR O MÉTODO DESENVOLVIDO/USADO PELO SEU TREINADOR, ESTA FORMA QUE ESTOU APRESENTANDO É APENAS UMA DAS FORMAS QUE EU UTILIZO, E É A MINHA VISÃO PARA AUXILIAR QUEM NÃO DISPOE DE TÉCNICO”.

2-Sessão de treino

Tentarei nos post´s seguintes, dar idéia de uma sessão de treinamento para jogadores de nível intermediário, ou seja, aqueles que possuem o domínio dos golpes.

Existem muitas variações e diferentes objetivos que norteiam cada período de treino: época da competição (se antes ou depois), estágio técnico do jogador (atenção maior aos fundamentos, movimentação, pontos negativos do jogo), pratica de táticas…

O objetivo desta seção é incorporar a execução de algumas seqüências.

Uma seqüência será uma forma de agir, empregar conscientemente um ou mais fundamentos com objetivo definido. Penso que 60 minutos de treino orientado e objetivo fazem diferença em qualidade de jogo. A pratica consciente dos treinos amplia o entendimento do jogador.

A duração pode e deve ser ajustada de acordo com a disposição dos jogadores, uma média de três treinos por semana, com uma hora e meia de pratica em media é o suficiente para evoluir. Obviamente estou pensando em nível de lazer/competição regional, em quem não é atleta patrocinado, não possui técnico, joga apenas por que gosta…

Iniciar quase sempre o treino com a pratica de exercícios de aquecimento. Este aquecimento consiste em preparar o corpo, seus músculos e articulações, e deve durar em média 10 minutos. A mente não deve estar divagando durante este momento, mas sim imaginando a forma de aproveitar diretamente estes exercícios no jogo.

· Padrões de deslocamento em “V” (desenho), circundando a área de jogo e simulando uma ampla movimentação frontal, inicia no lado esquerdo ou direito junto a rede e continua até a linha central, atravessando até o lado contrario junto a rede.

· Padrões de deslocamento diagonais, aproximando e afastando no lado direito da mesa (como execução de harau e top spin drive) ou no lado esquerdo da mesa (também in/out) aproximando e afastando.

· Realizar um percurso de corrida ou circuito com velocidade moderada realizando exercícios para os membros superiores, alternando levemente o ritmo da corrida e o padrão de movimentação: saltar da perna esquerda para a direita e vice-versa, imaginar um esqui e deslizar os pés como se estivesse patinando, pequenos saltos com ambas as pernas realizando leve flexão dos joelhos, enfim quem não possui técnico deve procurar informações sobre todos os assuntos alem de materiais de jogo.

Sobre alongar ou não neste momento que antecede ao treino de raquete, há controvérsias e não serei eu quem definirá, o jogador tem que descobrir suas necessidades (no próprio fórum há discussões sobre isto), a forma ideal de executar este alongamento também deve ser alvo de pesquisa.

Início do treino com bolas:

· Golpes regulares (chapados, leve top spin) de direita ou esquerda, na paralela ou na diagonal, 1X1 por 5 minutos ou número de acertos (número X de bolas). Visar movimento, ponto de contato da raquete na bola, posição do corpo em relação a mesa, foco da bola na mesa, ritmo…

1X1 significa que a bola irá tocar uma vez em meu campo e uma vez no campo adversário.

Este aquecimento/reconhecimento do material serve de preparação para desenvolvimentos mais complexos: 1X2, 1X3, 2X2, 3X3.

Uma boa pedida é marcar (giz) uma área próxima ao encontro da linha lateral com a linha de fundo e visar todos as devoluções longas e baixas em relação a rede.

È importante alternar a rotina com variações, ora na paralela, ora na diagonal, para desenvolver uma consciência de mesa e possibilitar devoluções em qualquer parte.

Jogadores canetas leiam e entendam que o fore (direita, levemente chapada), o back (esquerda, totalmente chapada) e o choto (chapado, ou com leve top spin, ou com side right ou ainda under spin) devem ser regularmente praticados.

Os classistas devem notar que há um fundamento a mais no treino dos canetas, o choto, e que o movimento equivalente é o back hand block, movimento executado com a lâmina e a esponja (chapado) ou também com diferentes ações de efeito.

Esta rotina de exercícios básicos também será executada quando estivermos treinando efeito com top spin ou under spin, bloqueio, etc.

Em um primeiro momento devemos praticar:

  1. Entendendo e aprimorando o golpe (observação do parceiro, número de acertos).

  2. Desenvolvendo a melhor forma de executá-lo dentro de nossas possibilidades (usar de acordo com o material e biótipo).

  3. Praticar variações com o máximo de regularidade (executar experimentos, definir uso).

  4. Visar a plena execução do movimento em nosso jogo (buscar assimilação em partidas e explorar ao máximo).

Após dois exercícios (em média) destes golpes básicos, devemos buscar a utilização da colocação da bola, aliando o efeito e movimentação do corpo.

• Exercícios 1X2, 2X2, etc, são empregadas as alternâncias de devolução em pontos diferentes da mesa. Estes pontos podem ser marcados para assimilar um padrão, e exigem a movimentação/deslocamento de quem executa ativamente o exercício, do parceiro que retorna os golpes ou dos dois ao mesmo tempo.

Exemplo exercício: 1X2- Fore hand drive na diagonal direita e na paralela direita.

O jogador que pratica o drive estará focado em encaixar seu golpe e moldar os movimentos de forma a automatizar (golpes distintos, movimentos distintos) a abertura de uma seqüência. Da mesma forma o parceiro, por exemplo, buscará estar sempre em condições de bloquear passivamente (sem acelerar, bloqueio hora passivo, hora ativo) e em estado de equilíbrio. 

A execução pode ser condicionada por tempo, execução alternada (uma vez para cada realizar os drives), condicionada aos acertos (quem erra bloqueia), a um numero mínimo de bolas ou a um número limite.

O primeiro drive pode ser na paralela ou na diagonal, a variação da preparação (drive em dois pontos) por si já cria um diferente exercício!

A duração de cada exercício deve ser estabelecida de acordo com o tempo total disponível, é reconhecido o maior valor da prática variada, quanto mais exercícios diferentes que necessitem adaptação, maior aprendizado (para quem domina os fundamentos!).

A monotonia e a repetição excessiva de um único exercício perdem o objetivo após 15 minutos (exemplo). Sempre que tiver de praticar o mesmo fundamento imagine formas diferentes envolvendo disputas ou condições (estabelecer parâmetros) para misturar as sessões regulares aos exercícios abertos (forma livre de término). 

São momentos distintos do treino que será estruturado assim:

  1. Aquecimento
  2. Alongamento ou não
  3. Aquecimento com bola, prática base de fore e back nas diagonais e paralelas
  4. Exercícios irregulares de tempo de reação (quebra repentina do padrão)
  5. Movimentação leve com ou sem efeito(1X2, 1X3, 2X1, 2X2…)
  6. Efeito (ataque, controle)- padrões de jogo, combinações
  7. Serviço e recepção
  8. Jogadas/soluções
  9.         Relaxamento-alongamentos

já copiei tudo q vc falou de novo , vo passar para meus amigos , vlw

Hinoki, na seguinte situação: se 2 atletas estiverem treinando parte de saque-recepção-terceira bola, algo desse tipo, o ideal é treinar o que cada um quer separadamente, ou mesclar os objetivos dos 2 atletas no mesmo exercício? Exemplo, se um deles quer treinar terceira bola, e o outro quer treinar saque, dá pra ficar intercalando os sacadores, ou é melhor fazer o objetivo de cada um separado?

Como citei anteriormente, todas as formas possíveis de variação são válidas, o que altera quando há um técnico é a observação, ao treinar junto a dificuldade de executar o exercício, corrigir e rebater a bola é maior.

Para iniciar sequências é interessante focar separado e progressivamente cada etapa.

Não há problema algum em ter diferente objetivos envolvidos no treino em um mesmo momento.

Cada um deve procurar o melhor modo…

Sempre que puder vou reler, reler, memorizar, memorizar, procurar praticar, praticar, ler, ler… Este tópico está ótimo! Obrigado.

MUITO BOM ! :slight_smile:

escuta , muito boa suas colocações, mas, diga-me: é possivel treinar sem um parceiro, ou seja, sozinho na mesa? é que onde moro, Ilheus Bahia, é muito dificil ter horarios compativeis com a turma. Ah, não tenho robô, mas se alguem tiver um para vender , porfavor diga-me. pensei em colocar um pedaço de compensado colado com um tipo de borrecha, sobre a mesa, para devolver a bola; seria uma solução?

Infelizmente, mesmo o TM sendo um esporte individual, é indispensável a interação com outro ser humano para aproveitá-lo em plenitude.

O objetivo é suplantar através de seus meios os recursos e técnicas do adversário em diferentes situações, o aprendizado necessário para desenvolver e interagir com suas próprias devoluções criaria um novo e não muito divertido esporte…