Óleo de bebê Johnson e Johnson de aceite e máscara líquida para artesanato Acrilex?

Para quem não pode, ou não quer comprar, “ouvi falar” que o óleo, e a cola citados a cima, “quebram o galho”. Gostaria de saber, a opinião de vocês. Grato pela atenção…

Atualmente uso power efect e cola butterfly.

Não tenho propriedade para falar sobre os materiais citados, porém, em relação a “quebra de galho”, a cola branca (de escola) é muito boa, gruda bem e não é nada difícil de remover. Atualmente eu uso essa cola na minha borracha do BH, Vega Europe, pois tive muita dificuldade pra colar com cola a base d’água.

Há tópicos no fórum a respeito de boosters e colas alternativas. Mas honestamente, não acho que vale a pena correr o risco de estragar borrachas e madeiras crescentemente caras para supostamente economizar com cola e booster, sendo que o último a rigor nem é necessário em nível amador.

Resumindo, a chance de encontrar um problema onde possivelmente nem existia um é bem grande.

Abraços!!!

1 Curtida

Quanto a máscara líquida para artesanato eu uso, mas ela quase não tem propriedades de aderência. Ou seja, não gruda bem na madeira.
Então por que eu uso? Para criar uma camada protetora para a esponja não danificar na hora de descolar da madeira. Geralmente eu passo 3 camadas na esponja e depois que seca eu passo cola Vipal (para pneu de bicicleta) diluída em redutor de adesivo (Reducola) na esponja e na madeira.
Se eu passasse esta mistura diretamente na esponja como vem de fábrica, na hora de descolar, ou pior ainda, na hora de retirar o excesso de cola da esponja, é uma tortura, ficam vários buracos conforme eu vou retirando a cola. Com a camada base de máscara líquida isso não acontece, a retirada do excesso de cola é até uma diversão.
Claro que para quem não fica trocando de borracha toda hora tal medida não é necessária. O que não é meu caso, eu gosto de testar várias combinações de madeiras e borrachas.

Vantagens de usar a máscara líquida: Preço. Custa bem barato e eu já compro um litro cada vez. Dura uma eternidade.

Desvantagens: Não gruda bem, além de encolher drasticamente a borracha a cada vez que se passa. Mas isso também acontece com várias colas “brancas” vendidas no mercado. Então se o jogador costuma recolar a borracha constantemente, é recomendável cortá-la maior que a face da raquete, pois fatalmente ela vai encolher depois que recolar.

Oi Nakata, como vai?

Hoje eu experimentei passar a Vipal de um amigo em minha raquete. Ficou bastante firme e o melhor de tudo é que secou bem rápido, quase que instantâneo, me agradou muito. Porém, quando eu espalhava a mistura na lâmina, percebi que a tinta dos desenhos começou a borrar :frowning:
Isso quer dizer que a quantidade de reducola usada na mistura não foi o suficiente? Ou é assim mesmo?

Desde já, agradeço

Vipal borra mesmo o que tiver impresso na madeira. Seja pura ou com solvente.
Eu já tiro tudo com acetona antes de passar cola justamente para não acontecer isso.
Vale lembrar que Vipal, com ou sem Reducola, é proibida em campeonatos oficiais. Mas eu não jogo torneios oficiais, então prefiro colar minhas borrachas com algo que cole mais firmemente. Se eu jogasse torneios da FPTM ou da CBTM jamais usaria tais produtos.

Isso acontece justamente pq a Vipal, assim como o solvente, tb tem componentes orgânicos voláteis (os VOC’s que vc vê mencionados por aí). Aliás, se não me engano, esses componentes são exatamente solventes.

E independente do meio em que se insere, conforme o @nakata mencionou, estas substâncias são proibidas no esporte.

Abraços!!!

Certo, entendi.
Somente mais uma pergunta: qual a quantidade de solvente ideal para um frasco de Vipal? (O mais comum de 225ml).