Madeira Cybershape

Saudações. Sou novo no fórum e escolhi como primeiro tópico perguntar sobre a tão falada Cybershape.
Com os bons desempenhos do Truls Möregårdh usando ela, ficou bem famosa.

O que vocês têm a dizer sobre a composição dela e características?

Sabem dizer se existem alternativas parecidas com preços mais em conta? Ou até mesmo raquetes com formato normal que utilizem a mesma composição na construção? Qual seria uma boa combinação de borrachas para ela?

Acho que só quem pode comentar sobre ela são usuários desta raquete, o que é bem raro.
Em toda a Liga Valeparaibana toda eu só vi um jogador usando este tipo de raquete, e nem mesmo sei se é a original da Stiga.
Em sites chineses eu já vi “genéricas” da Cybershape, mas desconheço se têm as mesmas características, vi apenas que possuem aquele formato estranho.

1 Curtida

Eu tive a oportunidade de bater bola e jogar algumas partidas com este tipo de raquete. Não era a Cybershape original da Stiga, apenas uma réplica barata e feita com 7 folhas de madeira, sem carbono na composição.
De cara pode-se notar a facilidade de gerar velocidade no drive. Na minha opinião isso se deve ao fato da raquete ter maior massa concentrada no topo da face. O sweet spot maior também ajuda na precisão ao executar drives e loops.
Alguns pontos negativos que eu achei foi a recepção curta de saque, é melhor receber sempre com topspin, seja de chiquita ou loop, desta maneira a raquete se mostra mais eficiente.
Smash também não é seu ponto forte, é uma raquete totalmente projetada para executar power drives e loops. Talvez um modelo com carbono se mostre melhor neste quesito.
A original da Stiga eu acho cara demais, mas pretendo investir numa réplica chinesa com carbono.
Quanto ao tipo de borrachas acho que tensionadas velozes ESN casam bem com ela, chinesas talvez nem tanto.
Ah, e antes que eu me esqueça, as dimensões da Stiga Cybershape são diferentes das réplicas chinesas, é algo para prestar atenção. Algumas réplicas têm a face muito menor que a original.
obs.: Nem sei se deveria chamar de réplicas, acho que genéricas cai melhor.

Ok, acabei adquirindo um modelo de raquete Cybershape. Não a original da Stiga, que custa um absurdo, mas uma cópia chinesa da Stuor, que inclusive achei mais apropriada pelos materiais utilizados.
Eis uma foto com as dimensões da minha nova raquete:

Imgur

E por que eu comprei isso? Alguns poderão dizer que é a doença incurável de EJ, mas eu afirmo que não. Como eu já suspeitava (e pude comprovar na mesa) este tipo de design de raquete potencializa o drive de FH, além de facilitar o bloqueio de BH. E algo com estas características vai me ajudar bastante na questão do FH, que sempre foi meu ponto fraco.
Diferente da Cybershape original da Stiga, esta Stuor não é do tipo Innerforce (2 camadas de madeira externas, carbono e núcleo). Ela tem construção do tipo Viscaria (camada externa de Koto, ALC, Limba e núcleo). A espessura é de 6.0mm, um pouco mais grossa que a Viscaria. O cabo também é nota 10. Diferente daqueles cabos super finos de alguns modelos Butterfly, esta veio com um cabo mais grosso que encaixa perfeitamente na mão.
Na mesa eu pude notar rapidamente a facilidade de se bloquear com esta raquete, ainda mais com uma borracha amigável no BH (Rakza X). Creio que o formato da raquete proporciona um sweet spot maior, o que gera esta facilidade em bloqueios.
Para atacar de FH novamente a borracha ajuda (Dignics 05), mas inegavelmente a raquete tem influência num FH mais potente que de uma Timo Boll ALC, por ex (minha outra raquete). Porém, o ganho em velocidade tem o contraponto de menos efeito topspin gerado, ou seja, com madeiras de formato tradicional eu achei mais fácil gerar topspin.
Ainda não disputei nenhum campeonato com ela, mas me parece que a melhor tática para este tipo de raquete é o contra-ataque, seja num bloqueio ativo ou num counterdrive.