Giz de cera nas borrachas da raquete?

BOM DIA A TODOS, SABEMOS QUE A REGRA, NÃO PERMITE BORRACHA, FALTANDO PEDAÇO, EM TORNEIOS E CAMPEONATOS . MAS SE FOR UM PEDACINHO PEQUENO, QUE FALTA NA BORRACHA, E USAR “GIZ DE CERA”, SERÁ ACEITO ??? GRATO PELA ATENÇÃO … :wink::ping_pong:

Eu pintava a minha borracha preta quando ela já estava bastante danificada. Pintada ou não, vai depender do bom senso do árbitro. Proibir de jogar porque está “pintada” acho quase impossível.

@Rodrigo_N_Escobar A regra diz: “A cobertura da raquete deve ser usada sem tratamento químico, físico ou outro qualquer.” Então, acho que isso responde sua pergunta.

A regra também permite a borracha faltando pedaço, desde que seja causado pelo uso normal, danos acidentais do equipamento e que (aí cabe a interpretação do árbitro) não mude significativamente a superfície e, claro, não venha interferir no jogo (por exemplo, faltando um pedaço no meio da raquete ou descolando uma boa parte, não dá). Acho que o giz não faria diferença alguma nesse caso.

A regra também estabelece que não pode sobrar borracha para além dos limites da madeira, mas a gente sabe que, se cortar a borracha com tesoura, naturalmente vai sobrar um pouco. Existe limite para tudo.

Eu sou árbitro estadual pela CBTM.

1 Curtida

De fato, a regra não é específica no sentido da possibilidade dos desvios, mas define a necessidade de cobertura da superfície (“the covering material shall extend up to but not beyond the limits of the blade”). Portanto, esta dependência da interpretação pode causar problemas razoáveis, que já vi acontecer com muitos atletas. Sendo assim, é necessário entender que há um risco relevante de ter a raquete reprovada numa competição oficial nesses casos. Claro que muitos árbitros procuram ser flexíveis, dependendo da amplitude dos danos também, mas é necessário ter ciência de que pode acontecer, e evitar sempre que possível.

Abraços!!!

1 Curtida

Com certeza, @Alcir. A questão é tentar contornar um problema com uma solução que não é correta.
Diga-me você que substitui suas borrachas: dá conta de cortar, mesmo com estilete, sem que sobre nem mesmo 0,5 mm pra fora em algum pedaço? Mas a regra diz que não pode ir além. Como você lida com isso?
Enfim… existe bom-senso, né. Se quiser arriscar, tem essa margem que falei, mas o seguro morreu de velho.

Concordo @raulgrilo, mas o que eu menciono é que independente da forma que se queira cobrir os defeitos nas bordas, há o risco prático de não ser aceito.

E quanto ao que sobra de borracha, é óbvio que manualmente é impossível ser zero, mas até aí eu nunca vi uma máquina de medição tridimensional à disposição dos árbitros tb hahahahahah.

Abraços!!!

1 Curtida